Sala de Imprensa

20 milhões de brasileiros sofrem de reumatismo

A luta em prol do diagnóstico precoce em relação às doenças reumáticas deve ser prioridade no Brasil, alertam os reumatologistas Dr. Jayme Fogagnolo Cobra e Dra. Camille Pinto Figueiredo, que se dedicam a estudar e inovar na área


A data 30 de outubro marca o Dia Nacional de Luta Contra o Reumatismo – uma terminologia que, na verdade, abrange mais de 100 tipos de doenças que podem estar ligadas às articulações, músculos, ligamentos ou ao sistema imunológico. De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR), podem haver mais de 20 milhões de pessoas acometidas pelas doenças reumáticas no Brasil – algo alarmante, tendo em vista que são doenças crônicas e que causam alto grau de dor e sofrimento aos doentes.

Uma das questões mais importantes relacionadas às doenças reumáticas é o diagnóstico. Infelizmente, a maior parte dos reumatologistas estão concentrados nos grandes centros urbanos e nem sempre as doenças são diagnosticadas em seu estágio inicial.

Dr. Jayme Fogagnolo Cobra, médico da Clínica de Reumatologia Prof. Dr. Castor Jordão Cobra, pertence a terceira geração de especialistas de sua família. Seu avô – que dá nome à clínica – é considerado um dos pioneiros da reumatologia pela SBR, tendo dirigido um dos primeiros serviços da área nos primórdios do Hospital das Clínicas e fundado seu primeiro consultório em 1944. Neste ano de 2019, a Clínica Prof. Dr. Castor Jordão Cobra celebra 75 anos, tendo atendido mais de 60 mil pacientes em sua trajetória e se consolidado como um dos maiores centros especializados em reumatologia do Brasil.

“A nossa trajetória mostra que é possível tratar as pessoas com doenças crônicas complexas, como as que tratamos em nossa Clínica por longos períodos de tempo (digo décadas), mantendo os doentes em remissão, com manejo seguro dos fármacos necessários, sempre em combinação e nas mínimas doses possíveis” – afirma o Dr. Jayme Fogagnolo Cobra.

Já a premiada Dra. Camille Pinto Figueiredo – reumatologista que lidera o núcleo científico da clínica – avalia os rumos que a inovação deve trazer em relação aos tratamentos e ao trabalho realizado pela Família Cobra: “Todos os novos estudos sobre massa óssea, risco de fratura e avaliação de como o osso se comporta vão muito além da reumatologia e do tratamento das doenças autoimunes, e é nesse sentido que o conhecimento da família irá evoluir”.

Além do atendimento na Clínica, Dr. Jayme e Dra Camille lideram um grupo de mais de 40 especialistas que atuam em 8 hospitais de São Paulo, ABC Paulista e Santos, realizando mais de 6 mil atendimentos por mês na área da reumatologia. Num desses hospitais, foi implementado um serviço de triagem que agiliza o encaminhando dos pacientes para a área de reumatologia, agilizando o diagnóstico desde a entrada no hospital – algo simples, porém inovador em relação ao atendimento.

No próximo mês, celebrando os 75 anos da clínica, chega às melhores livrarias o livro Família Cobra: A Medicina e a Reumatologia – 75 anos de Paixão, Tradição e Inovação, organizado pela biógrafa e editora Keila Prado Costa e publicado pela editora KPMO. A publicação apresenta um panorama sobre a reumatologia no Brasil a partir da história da clínica que, segundo o pesquisador alemão, chefe do departamento de reumatologia e imunologia da Friedrich-Alexander-University Erlangen-Nuremberg, Prof. Dr. Georg Schett, “mostra que eles realmente guiaram a transição da reumatologia no Brasil nos últimos 75 anos”.


SOBRE OS MÉDICOS

Jayme Fogagnolo Cobra

Jayme Fogagnolo Cobra é formado em medicina, com residência e mestrado pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (1999). Trabalha no consultório da família desde o período da graduação e, ao longo de sua carreira, trabalhou na gestão e direção de grandes hospitais de São Paulo. Há cerca de 10 anos, Jayme ampliou o serviço de reumatologia prestado pela família para além da clínica particular. Hoje, ao lado de sua esposa Camille Pinto Figueiredo, ele lidera um grupo de mais de 40 médicos que atuam em 8 hospitais de São Paulo, ABC Paulista e Santos, realizando mais 6 mil atendimentos por mês.

Camille Pinto Figueiredo

Formada pela Universidade do Estado do Pará (1998), Camille Pinto Figueiredo, esposa de Jayme Fogagnolo Cobra, é hoje o principal braço acadêmico da Família Cobra na Reumatologia. Com residência e doutorado realizados no Hospital das Clínicas (FMUSP) e pós-doutorado pela Friedrich-Alexander-University Erlangen-Nuremberg (Alemanha), Camille é médica e pesquisadora, dedicando-se, sobretudo, aos estudos sobre metabolismo ósseo e HR-pQCT. Atualmente, além de atuar como reumatologista na clínica e nos demais serviços da Família Cobra, desenvolve uma nova pesquisa no Hospital das Clínicas.

Em virtude de suas pesquisas, Camille foi congratulada com dois prêmios atribuídos pela Sociedade Brasileira de Densitometria Óssea, juntamente com outros pesquisadores: “Prêmio Antônio Carlos Araújo de Souza em Densitometria Clínica” (2008) e “III Prêmio de Incentivo à Pesquisa em Osteoporose e Osteometabolismo” (2011). Outros prêmios foram conferidos aos diversos trabalhos realizados pela equipe do Hospital das Clínicas da qual Camille faz parte, como The IOF Sergio Ragi-Eis Young Investigator Awards-1, da International Osteoporosis Foundation (2012); 1º Lugar Prêmio Jovem Investigador, da Sociedade Brasileira de Reumatologia (2013); 1º Lugar Prêmio Antônio Carlos de Araújo Souza, BRADOO (2015).